12 de novembro de 2013

Livro: O menino do pijama listrado



Bruno é um garoto de apenas 9 anos, aventureiro, que junto de seus três melhores amigos, adorava explorar e sonhava ser explorador, um dia. Morava em Berlin com seus pais, mais sua irmã,  o caso perdido de 12 anos e embora fosse um garoto literalmente inteligente e um ótimo explorador, a única coisa que ele não sabia era a profissão de seu pai, que lhe rendeu boas mudanças de vida. "Na escola todos conversavam um dia sobre seus pais, e Karl dissera que seu pai era quitandeiro, o que Bruno sabia ser verdade, porque o homem cuidava da quitanda no centro da cidade. (...) Mas, quando perguntaram a Bruno o que seu pai fazia, ele abriu a boca para dizer-lhes e então percebeu que ele próprio não sabia". 


Após mais uma tarde de exploração, Bruno teve a grande surpresa em saber que seu pai havia sido promovido a um cargo de muito respeito e, por isso, teria que mudar de casa. "Temos que procurar fazer o melhor de uma situação ruim". O que ele não aceitava, pois, seus amigos foram deixados para trás, a casa dos seus sonhos, indo morar em uma concentração que explorar fora do portão estava literalmente proibido. E para ajudar, seu pai sempre dizia palavras nas quais ele não entendia muito bem: "Heil Hitler, disse, o que o Bruno presumia ser outra forma de dizer "Bem, até logo, tenha uma boa tarde"'.


Dá janela de seu quarto, Bruno conseguia enxergar várias pessoas, bem longe, todos usando uma mesma roupa, pijamas listrados. Mas, quando perguntava a alguém sobre essas pessoas, ninguém dizia, ou então desconversavam. Eram pessoas com esses pijamas que arrumavam a casa, servia o jantar e apanhavam dos soldados, quando faziam algo que para eles parecia errado. Algo que Bruno nunca conseguia compreender. 

Certo dia, após fugir de casa para explorar um pouco. Bruno encontra uma cerca ao longe e a cada passo que dava, via algo. Primeiro um ponto preto, depois uma mancha e por fim um garoto, com as mesmas roupas listradas que ele via da sua janela. Era Shmuel, um garoto de também 9 anos, mas que por ser Judeu, teve sua vida barrada, o que o tornava naquele momento, bem diferente dele.

Desde então, Bruno entra na maior aventura de sua vida, algo que nunca havia vivido quando explorava com seus antigos amigos, que nem se lembrava mais quem eram. E embora estejam em mundos diferentes, surge uma amizade espontânea nos rendendo fortes emoções.

"Você é o meu melhor amigo Shmuel", disse ele. "Meu melhor amigo para a vida toda."

PS: Através do olhar de uma criança imune a tortura, conhecemos um pedaço da Segunda Guerra Mundial e a tortura que sofriam os Judeus, no interior da Alemanha.

Editora: Cia. Das Letras
Número de páginas:186
Autor: John Boyne

Nenhum comentário:

Postar um comentário